Os Milagres da Beatificação e da Canonização dos Santos Luís e Zélia Martin

Conheça todo o processo que levou os pais de Santa Teresinha aos altares

Milagre Luis e Zelia

O processo de canonização1

Os processos para as Causas de Canonização dos Servos de Deus Luís MARTIN e Zélia GUÉRIN, pais de Santa Teresinha do Menino Jesus, foram instruídos separadamente pelas dioceses de Bayeux-Lisieux e de Séez, entre 1957 e 1960, e depois enviados à Roma.

Em 1971, o procedimento para a beatificação dos cônjuges Luís e Zélia, por vontade do Papa Paulo VI, foi unificada em uma só e mesma Causa.

Em 26 de março de 1994, o Papa João Paulo II os proclamou “Veneráveis”, reconhecendo as suas “virtudes heroicas”.

No ano de 2008, depois do reconhecimento da cura milagrosa do pequeno Pietro, Luís e Zélia foram beatificados em Lisieux a 19 de outubro2.

O milagre da beatificação3

“Eu nasci doente, e quando estava doente os Martin pediram a Jesus para curar-me e ele me curou”. Assim o pequeno Pietro Schilirò, de seis anos [na época desta entrevista], explica o milagre da sua cura quando era recém-nascido.

Os pais de Pietro, Valter e Adele, casados desde 1986, tiveram 5 filhos [Marta, Elisa, Giulio, Lorenzo e Pietro], dos quais, Pietro Schilirò foi o último, nascido em Milão, Itália, a 25 de maio de 2002. São membros do Caminho Neocatecumenal. A família, hoje, mora em Monza. No mesmo dia de seu nascimento foi diagnosticada uma grave malformação pulmonar, fazendo com que ficasse internado no hospital submetido a uma terapia intensiva para que pudesse respirar.

“Imediatamente percebemos que a enfermidade era muito grave porque não deixava nenhuma possibilidade de cura” – explicou o pai.

Era necessário fazer uma biopsia, o que comportava um grande risco para o pequeno Pietro. Por isso, os pais decidiram batizá-lo imediatamente. Assim, pediram ao padre Antonio Sangalli (Carmelita amigo da família) para administrar o sacramento. O sacerdote deu aos pais um santinho do casal Martin.

“Eles perderam quatro filhos em tenra idade – explicou Adele, a mãe de Pietro –. Desta forma poderiam ajudar a apoiar-nos naquilo que estava acontecendo e naquilo que o Senhor nos estava pedindo naquele momento”.

O casal Schilirò não conheciam muito da vida de Zélia e Luís; o pouco que conheciam era através dos escritos de Santa Teresinha. Na incerteza da saúde do pequeno descobriram uma “misteriosa proximidade com o casal Martin”, confessou Valter.

“Nós naquele ponto ousamos pedir ao Senhor aquilo que estava no coração, que era a cura do Pietro. O Senhor nos colocou entre as mãos do casal Martin”, recorda Adele.

No sofrimento, e vendo o filho ligado a tantos aparelhos para poder respirar artificialmente, Adele e Valter compreenderam que deveriam pedir a Deus aquilo que fosse a Sua vontade para Pietro.

“Para nós isto foi importante porque nos ajudou a olhar aquilo que nosso filho estava vivendo. Ele estava vivendo plenamente sua vocação através do sofrimento que o acometia. Participava do sofrimento das almas com Jesus e para nós foi o primeiro milagre”.

Em 26 de junho Pietro sofreu uma grave crise respiratória. “Os médicos nos disseram que era questão de poucas horas o a qualquer dia.

Depois de recitarem várias vezes a novena aos esposos Martin, em 29 de junho, dia em que a Igreja celebre a festa de São Pedro e São Paulo, Pietro começou a dar sinais de melhora. Duas semanas depois o menino respirava sem oxigênio e os médicos asseguraram que a sua cura era “um fato surpreendente”. Os pais comunicaram ao padre Antonio, e o sacerdote se tornou vice postulador da causa de beatificação de Zélia e Luís.

“Nós somos verdadeiramente cheios de gratidão. Nos sentimos não merecedores de tamanha graça”, disse Adele.

Valter acrescenta: “Não é para nós um mérito, absolutamente. Isto que aconteceu a Pietro é para a Igreja inteira. Tanto é verdade que estamos aqui, hoje, trazendo ao papa [Bento XVI] esta relíquia, que é um grande sinal para toda a Igreja”.

Hoje Pietro é uma criança normal: brinca, vai à escola e sabe muito bem que foi curado graças ao milagre dos esposos Martin. “Todas as noites recita conosco, em família, a oração dos Martin para pedir pelas pessoas que nos pedem a sua oração”, disse Adelia.

“Reza também pelo Papa e todos os nossos caros amigos sacerdotes, e uma lista grande que faz todas as noites”, sublinha Valter.

Os pais de Pietro compreenderam muito bem o que significa confiar na Providência quando se sofre pela saúde dos filhos: “Eu diria aos pais das crianças enfermas para não perderem a esperança, para aproximarem-se de Cristo através de seus santos. Ousar pedir porque o Senhor é um bom Pai. E então necessita ter essa força para entender que aquilo que acontece é para o bem”.

“Em um momento de prova o Senhor nos pede realmente tanto, mas se se põe a esperança e confiança nEle o Senhor preenche muito mais. Pedir antes de tudo a conversão do próprio coração, é a primeira cura que se necessita pedir sempre”, observa Adele.

Graças à este milagre foi aprovada [pelo papa Bento XI] a beatificação do casal, que aconteceu em 19 de outubro de 2008 na Basílica de Santa Teresinha de Lisieux, na França. Entretanto para Pietro não havia esperança”, prosseguiu Adele.

O milagre da canonização4

Quarta-feira 18 de março de 2015, durante audiência privada com o Cardeal Amato, Prefeito da Congregação para a causa dos Santos, o Papa Francisco autorizou a promulgação do decreto que reconhece o milagre da cura da pequena Carmem (cf. abaixo), atribuído a intercessão dos beatos cônjuges Luís e Zélia Martin.

Luís e Zélia Martin foram beatificados em Lisieux a 19 de outubro de 2008. Carmen [segunda filha de Santos Perez Pons e Mari Carmen] nasceu em 15 de outubro de 2008, depois de 28 semanas de uma gravidez muito difícil. “Preparem-se para o pior” anuncia a parteira. As complicações, frequentes em um prematuro, se multiplicam: dificuldade respiratória, cardíaca, dupla septicemia, hemorragia cerebral ao estado mais avançado, etc. Sendo que a criança nasceu no dia da festa de Santa Teresa D’Ávila, o pai entra num Carmelo fora da cidade. As irmãs trazem ao coração esta intenção. Os pais participam cada domingo da Santa Missa e retornam logo ao hospital.

Ao final de novembro, o caso parece desesperador. Pela primeira vez a mãe tem o direito de tocar seu bebê, a incubadora permanece aberta. A família começa a falar sobre o enterro. Em 23 de novembro, a Priora do Carmelo entrega aos pais a oração de Luís e Zélia em espanhol. Não os conhecem de fato, e não conhecem nem mesmo a famosa filha Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face. No dia seguinte acontece uma providencial transferência de hospital. Contrário a cada expectativa, Carmen suporta, a infecção é interrompida. Começa a recuperação e recebe alta no dia 2 de janeiro de 2009.

Permanece uma grave preocupação: a hemorragia cerebral dilata o crânio da bebê e a faz sofrer. É previsto um exame em 19 de fevereiro. Provavelmente deverá ser operada. Novas orações aos cônjuges e pais Martin, cujas relíquias passam providencialmente pelo Santuário de Lerida. O pai de Carmen, o irmão maior Ismael (nascido em 2004), e os avós vão agradecer e interceder.

De seu convento, as carmelitas se unem às suas orações. Alguns dias depois, a ecografia revela que a hemorragia cerebral sumiu, permanecendo somente cicatrizes e, coisa ainda mais surpreendente (até hoje os médicos não conseguem explicar), a ausência total de sequelas neurológicas ou motoras.

Este é o milagre pelo qual o Papa nesta manhã autorizou o decreto de reconhecimento.

Santuário de Lisieux e Santuário de Alençon – Quarta-feira 18 de março de 2015.

A canonização, portanto, aconteceu em Roma, com o Papa Francisco, no dia 18 de
outubro de 2015, fazendo com que Luís e Zélia, se tornasse o primeiro casal, na história da Igreja, a ser canonizados juntos. Sua memória litúrgica é comemorada em 12 de julho, dia do matrimônio deles.

Organizado por Italo J. P. Fasanella
Fundador e Moderador Geral
Comunidade Católica Sagrada Família


1 Disponível em: http://www.therese-de-lisieux.catholique.fr/Cause-des-Bienheureux-Louis-et-Zelie-Martin,426.html e CLAPIER, Jean. Luigi e Zelia Martin, una santità per tutti i tempi, 2011, p. 162-163 (tradução livre do autor).
2 Naquele ano, 19 de outubro foi o dia da Jornada Mundial das Missões. Santa Teresinha do Menino Jesus, filha do casal Martin, é padroeira das Missões.
3 Disponível em: https://it.zenit.org/articles/il-bambino-guarito-per-intercessione-dei-genitori-di-santa-teresina/ (tradução livre do autor de alguns trechos e acréscimos de informação).
Disponível em: http://www.therese-de-lisieux.catholique.fr/sites/therese-de
lisieux.catholique.fr/IMG/pdf/miracolo_carmen_italiano.pdf (tradução livre, do autor, de alguns trechos).
5 A canonização de Luís e Zélia aconteceu em meio à realização do Sínodo Ordinário dos Bispos, que tratou do tema: “A vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo”. Este domingo, como no da beatificação, foi dia da Jornada Mundial das Missões.

Ver mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close